Eu amo Rio Negrinho

Professora desenvolve jogo para ensinar matemática

Quatro cálculos foram aplicados pela atividade na EMEB Profª Selma Teixeira Graboski
07/08/2018 14:10

A Matemática fornece instrumentos eficazes para compreender o mundo. Quase tudo no cotidiano gira em torno de números, medidas, e até mesmo, figuras geométricas. Foi com esse objetivo que a professora Carmem Pereira mobilizou os alunos dos anos iniciais da escola Selma Teixeira Graboski. A ação faz parte do Programa Âncora, desenvolvido pela Prefeitura de Rio Negrinho e que já atende cerca de 232 alunos em nove unidades de ensino.

Segundo a professora, as dinâmicas de grupo para a educação infantil vêm mobilizando alunos de diversas disciplinas. “São atividades, mesmo que simples, que despertam valores e competências importantes para o desenvolvimento social das crianças. Como trabalho em equipe, formam grupos para resolução de desafios e raciocínio lógico”, conta Carmem. Além das avaliações comuns, essas atividades vêm auxiliando o futuro dos estudantes. Um exemplo disso são os alunos da escola que se destacaram na primeira fase na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, (OBMEP).

Primeiro a professora dividiu qual o assunto que seria trabalhado pelo jogo, como foco escolheu as quatro operações básicas da disciplina. Apesar de apenas ter sido trabalhado com as turmas da profissional, o jogo ainda pode ser feito com os alunos que possuem ou não algum conhecimento da disciplina. No jogo o aluno pega em uma caixa um cálculo, raciocina, e escolhe uma das opções sugeridas nos círculos na plataforma. A ação se repete até completar toda a atividade. “Percebemos que com a atividade, os alunos ficaram mais determinados, criativos e estimulados para o obter os resultados das operações”, observa.

Um dos desafios enfrentados é cativar os alunos em aprendê-la. Foi nesse ponto em que a professora foi aproximando o processo de aprendizagem com a realidade dos alunos. “Se já quando bem pequenos, os pais ensinam os filhos a identificar os números em placas e ao contar nos dedos, também é possível ensiná-los de uma forma diferente na idade escolar também. E o jogo mostrou muito isso”, ressalta. A professora ainda priorizou o conhecimento que os alunos já traziam de casa, com isso eles sentiram-se motivados a abranger ainda mais o conhecimento.

Download das fotos em alta resolução
Carregando