Eu amo Rio Negrinho

Rio Negrinho recebe título de Núcleo da Embaixada de Direitos Humanos

O núcleo tem como missão procurar contribuir para um mundo melhor, trabalhar em prol de todos os que compõem a vida em sociedade
17/04/2018 08:53

O município de Rio Negrinho tornou-se Núcleo da Embaixada dos Direitos Humanos ao Serviço da Humanidade. O título foi conferido na última sexta-feira, 13, no Centro de Ciências Tecnológicas (CCT), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Joinville, pelo Observatório Internacional de Direitos Humanos (OIDH), com sede mundial em Portugal, para a promoção da paz no mundo.

O núcleo tem como missão procurar contribuir para um mundo melhor, trabalhar em prol de todos os que compõem a vida em sociedade tendo sempre como principal preocupação os mais desfavorecidos e os que mais sofrem. “Este é um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pela Prefeitura de Rio Negrinho”, ressaltou a secretária de Assistência Social Giseli Ruckl Anton, presente na solenidade e que recebeu o título pela cidade.

Os altos valores e princípios morais que norteiam este núcleo, fazem com que defenda convictamente a Dignidade da Pessoa Humana através da Declaração Universal dos Direito Humanos. Tem como objetivo primordial de contribuir para a promoção da Paz no Mundo e o bem comum da Humanidade, no âmbito da cidadania global.

Durante a cerimônia, o reitor da Udesc, professor doutor Marcus Tomasi, recebeu o título de curador da Embaixada de Direitos Humanos, com a missão de procurar contribuir para a promoção da paz no mundo e o bem comum da humanidade, no âmbito da cidadania global. “A Udesc precisa desencapsular, ou seja, levar o conhecimento para fora da universidade. Sinto orgulho ao receber o título de Embaixada dos Direitos Humanos ao Serviço da OIDH para a promoção da paz no Mundo. Somos a única no país com esse título. Todo meu apoio a essa causa”, disse o reitor.

A universidade integra o OIDH, por meio do Grupo de Estudos em Políticas Educacionais e Sociais (Gepes) desenvolvido em parceria com o Grupo Regional de Articulação em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Gradcia). “O grupo não tem nenhuma função institucional dentro do sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente, mas ele tem, sim, por vontade das pessoas que estão nesse grupo, a função de articular. E através dessa parceria com a Udesc, a gente consegue ter todo o apoio logístico para continuar desenvolvendo o projeto”, disse a coordenadora do Gradcia, Lourdes de Aquino.

O Gepes é resultado de um projeto de extensão criado há cerca de 15 anos na Udesc Joinville. Com a missão de aproximar a universidade da comunidade, o grupo reúne mensalmente os Conselhos Tutelares e de Direito de 16 municípios das regiões norte e nordeste de Santa Catariana para debater questões ligadas ao Estatuto da Criança e do Adolescente e buscar a garantia de políticas públicas.

Download das fotos em alta resolução
Carregando